SEG à SEX: das 8h30 às 18h00

11 98885-2580

Melanoma in situ

O que é Melanoma in situ

O melanoma é um câncer de pele agressivo, de crescimento rápido e com grande potencial de gerar metástases (espalhar pelo corpo). Melanoma é um tumor originário dos melanócitos, as células que produzem pigmento na pele (melanina), por isso, na maioria das vezes melanoma é um tumor escuro. Quando diagnosticado precocemente é curável por cirurgia. 

O melanoma in situ é justamente o tumor na sua fase mais inicial, restrito à epiderme, camada mais superficial da pele. É o tumor que ainda não invadiu a derme, por isso, praticamente não há risco de metástases. É o melanoma que tem excelente prognóstico, sendo curável por cirurgia.

Legenda: Melanoma in situ restrito à camada mais superficial da pele: a epiderme. 

 

Como reconhecer um melanoma in situ

O melanoma in situ exibe as características clássicas do melanoma: na grande maioria das vezes é uma lesão escura, de limites irregulares, apresentando mais de uma cor e com história de mudança ou crescimento. Em geral melanoma in situ é uma lesão plana, sem relevo.

É mais comum na região de tórax e raiz de membros. Mais raramente acomete outras regiões como regiões genitais, mãos e unhas. 

Legenda: Melanoma in situ em dorso, lesão plana, escura, irregular com mais de uma cor.

 

Melanoma in situ tem cura?

    Sim, a grande maioria dos melanomas in situ pode ser curado através de cirurgia. O tratamento do melanoma segue padrões internacionais, no caso do melanoma in situ a recomendação dos guidelines é de uma cirurgia com 0,5 a 1,0 cm de margens circunferenciais. Uma preocupação legítima é ter certeza que o melanoma é de fato in situ. Por isso, por vezes o médico pode solicitar uma revisão de lâmina da biópsia para confirmar que o melanoma está restrito a epiderme. 

    Em casos especiais, com melanomas localizados em regiões onde uma cirurgia com margens menores que 0,5 cm possam ser necessárias, existe a possibilidade de fazermos cirurgia de Mohs. A cirurgia de Mohs no melanoma é feita com uso de uma coloração especial chamada de imuno-histoquímica rápida, que permite visualizar melhor os melanócitos ao microscópio. A cirurgia de Mohs no melanoma só deve ser indicada em casos selecionados como melanomas in situ da região genital, das unhas ou do rosto. 

 

Considerações finais

    Melanoma in situ é um tumor de excelente prognóstico que pode ser curado com o tratamento cirúrgico adequado. É aconselhável que o tratamento seja conduzido por um especialista.

 

Referências bibliográficas

Dr. Gustavo Alonso Pereira

Dúvidas sobre Melanoma in situ?

Agende uma consulta e seja examinado por um de nossos Dermatologistas.

Agende sua consulta

Dr. Gustavo Alonso Pereira

Dermatologista - CRM - SP: 97410 | RQE - 37815