SEG à SEX: das 8h30 às 18h00

11 98885-2580

Carcinoma de Merkel

O que é carcinoma de Merkel? 

Carcinoma de Merkel é um tumor de pele raro e muito agressivo. É originário das células de Merkel, que são estruturas responsáveis pela sensibilidade da pele. É um tumor raro, contudo sua incidência tem crescido muito nos últimos anos.   Hoje sabe-se que o carcinoma de Merkel é causado por um vírus: o poliomavirus. 

Legenda: O carcinoma de Merkel origina-se da célula de Merkel, uma célula responsável pela sensibilidade mecânica da pele. 

 

Existe uma regra mneumônica para ajudar a pensar no diagnóstico de carcinoma de Merkel: regra do AEIOU

  • Assintomático: O carcinoma de merkel em geral é indolor, não coça, não da sintomas.

  • Evolução rápida: É uma lesão de crescimento rápido, em questão de meses.

  • Imunosupressão: O carcinoma de Merkel é mais frequente em pessoas com algum tipo de problema imunológico, seja doenças como AIDS ou leucemia, ou alterações imunológicas por uso de medicações como transplante de órgãos. Assim como ocorre em outros tumores causados por vírus,  em pacientes com problemas imunológicos o carcinoma de Merkel tende a ser mais agressivo. 

  • Older than 50 - Acima de 50 anos: Carcinoma de Merkel é um tumor que aparece em pessoas acima de 50 anos, sendo muito mais comum após os 65  anos de idade. A incidência em pessoas acima de 65 anos é 15 vezes maior quando comparado com pessoas abaixo de 65 anos.

  • Ultravioleta: O carcinoma de Merkel é mais comum em áreas expostas ao sol, expostas à radiação ultravioleta especialmente em pacientes de pele clara.

 

Fatores de risco para o carcinoma de Merkel 

Local do corpo: Normalmente aparece em áreas expostas do corpo, sendo mais frequente em cabeça e pescoço (29%), membros inferiores (24%) e membros superiores (21%).

Sexo: O carcinoma de Merkel é 2 vezes mais comum em homens.  

Idade: Ocorrem com maior frequência após os 50 anos de idade, sendo muito mais comum após os 65 anos. Nos pacientes imunocomprometidos (por exemplo em transplantados) o carcinoma de Merkel costuma acometer pessoas mais jovens, em média 10 anos mais jovens. 

 

Como reconhecer um carcinoma de Merkel? 

O carcinoma de Merkel não é uma lesão característica, de fácil diagnóstico. Em geral é um nódulo (bolinha) avermelhado, de consistência firme e crescimento rápido. É mais frequente em região de cabeça e pescoço, mas pode acometer toda a pele. Em 14% dos casos a lesão surge diretamente nos linfonodos, sem evidência de uma lesão na pele. O diagnóstico clínico é muito difícil, sendo fundamental fazer uma biópsia da lesão  para o diagnóstico definitivo. 

 

Tratamento do carcinoma de Merkel 

Por se tratar de um tumor raro, agressivo e potencialmente letal, recomenda-se que o tratamento seja feito por especialistas com grande experiência, preferencialmente por um grupo multidisciplinar que inclua dermatologista, cirurgião oncológico e oncologista.

O tratamento inicial é sempre cirúrgico! Recomenda-se a remoção do tumor com margens amplas (em geral 2 a 3 centímetros de margem de pele normal). 

Uma opção com resultados superiores é a cirurgia micrográfica de Mohs, que tem maiores índices de cura, com margens de segurança menores, portanto, cirurgias menores e recuperação mais rápida. Na maioria dos consensos mundiais de tratamento do carcinoma de Merkel a cirurgia de Mohs figura como o método de excelência.

Saiba como é feita a cirurgia de Mohs Video embed https://youtu.be/wCi2xKYAhfE

Ainda não é um consenso, mas a maior parte dos especialistas indica a realização de linfonodo sentinela para melhor investigação da extensão do tumor.

Caso exista metástases para linfonodos é necessária uma cirurgia de remoção de todos os linfonodos da região afetada (linfadenectomia). E no caso de metástases para outros órgãos é indicada a quimioterapia. Atualmente uma opção de tratamento com bons resultados é a imunoterapia, usando os chamados inibidores de checkpoint imunológico.

Carcinoma de Merkel é um tumor agressivo, que pode dar metástases e levar a óbito. É fundamental o tratamento com uma equipe multidisciplinar de médicos especialistas.

 

Referências bibliográficas

Dr. Gustavo Alonso Pereira

Dúvidas sobre Carcinoma de Merkel?

Agende uma consulta e seja examinado por um de nossos Dermatologistas.

Agende sua consulta

Dr. Gustavo Alonso Pereira

Dermatologista - CRM - SP: 97410 | RQE - 37815